segunda-feira, 30 de abril de 2007

Democracia

Naquilo que pode ser entendido como um renascer da democracia, na França, com um comparecimento recorde no primeiro turno das eleições para a presidência. 73,87% dos franceses foram às urnas. Para ter noção do que isso representa, 58,5% havia comparecido na última eleição.

Imagino qual seria o comparecimento às urnas caso as eleições no Brasil também fossem com voto facultativo, pois com o voto obrigatório, tivemos um comparecimento de 83,3% no primeiro turno.

Isso quer dizer que dos 125.913.134 de eleitores aptos a votarem à presidência da república, 21.092.675 resolveram não votar. Isso ai, 21 milhões não votaram no primeiro turno, mesmo que obrigadas a fazê-lo.

Acontece que no segundo turno a coisa piorou. Mais três milhões de pessoas decidiram não votar. Isso ai, 24 milhões de pessoas não foram votar no segundo turno das últimas eleições.

Somos um país bem mais populoso que a França. Porém, o feito de 73,87% da população francesa ter decidido votar é extraordinário.

Comprando ao exemplo da nossa democracia que sempre foi às avessas, que foi implantada, nem que para isto fosse necessário prender, bater, espancar e matar. Pela democracia onde somos obrigados a votar, que obriga a manifestação daquele que está completamente desinteressado. Não se pode obrigar a participar.

Precisamos de uma reforma. Precisamos de honestidade para nós mesmos, para que o que assuste não seja a abstenção proibida, mas um surpreendente comparecimento. Para consolidarmos uma democracia, temos primeiro que liberar nosso cabresto que nos obriga a ser uma sombra daquilo que realmente queremos um dia ser.

Temos que ser, não aparentar. Mas para ser, é preciso passar por todo o processo de mudança. Falta dar o primeiro passo, descarrilar o nosso trem exausto, para de uma nova estaca zero começar.

1 comentário:

Dead Oz disse...

números...

infelizmente o percentual de brasileiros com pensamentos e atitudes revolucionárias é muito pequeno... =/

quem sabe depois das olimpíadas? o.O