domingo, 28 de outubro de 2007

Ventos de Somália


Somália é um país pobre. Pobre até em relações a outras nações africanas. No colégio, ensinam que os países africanos foram divididos por fronteiras que não respeitavam àqueles que habitavam as localidades, etnias e culturas foram irrelevantes diante dos interesses comerciais do neocolonialismo.

Este país localizado no “chifre” da África é um grande exemplo disto. É uma nação fragmentada em diversas tribos, onde o governo eleito com ajuda de Etiópia não é considerado legítimos pelos chefes de tribos – que são muitas –, o que facilitou a pulverização nacional.

Porém, a capital Mongadíscio, também cidade mais populosa do país, continua sendo o palco da barbárie da guerra étnica e religiosa. Há um confronto claro entre as forças mulçumanas e o governo. No meio deste caos, crianças.

Crianças que protestaram, se manifestaram, fizeram uma passeata. Seis pessoas morreram sábado, numa ofensiva das tropas da Etiópia que interferem nos conflitos desde que a ONU abandonou o posto há 12 anos.

O mais importante é ver que há uma busca de paz, mesmo neste caos que leva tanta gente à miséria, é bom ver que há uma luta pacífica por paz e de uma nova geração. Eram crianças protestando.

Mesmo que seja difícil ver uma notícia, uma nota sobre algo da África. É bom ver que entre tanta desgraça que do continente do descaso ainda vem uma brisa de esperança.

É mais do que um exemplo para esse Brasil, hoje apático, conformista. Resignar-se? Não! Mesmo frente ao mais absurdo deve haver esperança. Senão o cabresto estará colocado e nada mudará, nos jornais serão sempre as mesmas notícias, sem poder nem ao menos brotar uma mínima brisa de alegria, esperança e paz.

1 comentário:

Carol disse...

Eu sinto saudades da amizade, do papo bom, sadio.
Quero saber como vc tá!
Não achei melhores meios pra isso.
Mande um beijo à namorada linda e fofa e fique com Deus.

zzappingg@hotmail.com